Num mundo volátil, como gerir minha marca?

Num mundo volátil, como gerir minha marca?

Hoje vamos falar sobre como a gestão de marca se relaciona com as tendências para o mercado.

Você já ouviu falar em VUCA?

O conceito VUCA (sigla em inglês), utilizada para descrever a volatilidade (volatility), a incerteza (uncertainty), a complexidade (complexity) e a ambiguidade (ambiguity) nas situações é oriundo do vocabulário militar norte-americano. O conceito propõe um modelo de trabalho baseado em reestruturação de grupos, compartilhamento de informações e o fim das barreiras hierárquicas para permitir uma gestão mais ágil e decisões ousadas. E também descreve um pilar do mercado: a complexidade do público-alvo. Se VUCA se apresenta como modelo teórico a gestão de marca é prática, diária e reagente aos acontecimentos atuais. Falaremos mais a frente sobre esse conceito e suas evoluções (MUVUCA e BANI) e como está relacionado com a gestão dos negócios.

A capacidade de navegar nesse mundo seja lá qual for a sigla do momento foi colocada à prova. As últimas semanas mostraram que ainda temos muito a aprender. Muito tem se falado sobre os próximos anos, considera-se uma aceleração de movimentos como a transformação digital das empresas, o trabalho remoto com respeito a vida, a importância da saúde mental entre outros.

Beatriz Guarezi do Bits to Brands fez um trabalho chamado Tendências de comportamento e tecnologia  para marcas em 2021 (e além) onde aborda os temas: 

  • O auge da assinatura
  • Ritualização
  • Volta ao lar
  • Marcas em jogo
  • Conteúdo descentralizado

 

“Aqui estão algumas mudanças impulsionadas pela pandemia, que devem compor o tal “novo normal”. Elas vão influenciar o que e como compramos, o conteúdo que consumimos e a nossa forma de encarar o dia a dia – em casa, e em sociedade.” Beatriz Guarezi

Em relação aos pontos de tendências do mercado, quero fazer uma relação com a gestão de marca. 

O auge da assinatura podemos relacionar com a padronização dos produtos e serviços no mercado e com um consumidor cansado do excesso de informação. O consumidor se comporta da seguinte forma: se todos os produtos são iguais/semelhantes e já não tenho mais capacidade para avaliar e ser crítico a toda informação disponível sobre o assunto, vou escolher um serviço/produto para receber regularmente. Aí temos a assinatura de streaming de filmes, TV, feira de frutas e outros alimentos, de bebidas alcoólicas, de congelados, de livros, de conhecimento específicos etc. 

Ritualização e Volta ao lar podemos relacionar com a necessidade das marcas entenderem a sociedade, respeitar a diversidade, e de se posicionarem diante das questões do mundo. Como já comentei aqui em alguns casos, só há um lado certo: combater o racismo e a propagação das fakes news. O mundo exige das empresas um posicionamento. 

Marcas em jogo se relacionam com a gestão de marca quando entendemos que não há mais espaço para empresas que estão focadas apenas na venda de um produto/serviço com foco em apenas resultados financeiros e serão entendidas especialmente pelas novas gerações como comoditizadas. As marcas precisam se relacionar com o consumidor e este precisa se identificar com a marca. É preciso evoluir como negócio em busca de um propósito genuíno.

Conteúdo descentralizado se relaciona com a gestão de marca na estratégia de comunicação para cada stakeholders e a definição da linguagem da marca. Aqui é interessante perceber que a descentralização do conteúdo deve ser executada conforme capacidade de planejamento e ação. Nada adianta querer estar presente em todos os lugares, porém sem conseguir planejar, executar e monitorar. 

Baixe este material é importante para quem quer saber das tendências e também entender a gestão de marcas. bitstobrands.com/tendencias-2021

Tendência aliado ao diferencial estratégico

O trabalho da gestão de marca é aliar as tendências de mercado com o diferencial competitivo da marca. Estar atento às tendências de mercado é diferente de fazer o que “tá todo mundo fazendo”. Precisamos sair da nossa bolha, ter coragem para mudar, fazer diferente dos nossos concorrentes.

Acompanhando um webinar li uma frase na apresentação (desculpa não sei mais quem escreveu, pois eram vários participantes) que descreveu o que sempre pensei sobre o significado de tendências principalmente na gestão de marcas, a frase é a seguinte: “Se preparar para o futuro exige mais que estudar tendências. É necessário perder o medo do desconhecido, mudar hábitos e ouvir curiosidades e o que não te soa familiar.” Essa frase explica a relação das tendências com o diferencial estratégico da marca. 

Lembre-se, branding é um modelo de gestão de marca focado em construir valor para sua marca e vai ditar o ritmo do mercado nos próximos anos. Posicione sua marca para ser competitivo. Seja autêntico, coerente e responsável. 

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
WhatsApp